//
você está lendo...
Homilias

A missão da comunidade


Jesus e a comunidade 3

 

 Fonte da imagem: http://www.cebi.org.br/noticias.php?noticiaId=4945

“A missão da comunidade”

2do Domingo de Pentecostes – Ciclo A

Textos:
1ra leitura: Jeremias: 20,7-13
Salmo 69,1-8
2da leitura: Romanos: 5,12-15
Evangelho: Mateus 10,24-33

Os textos deste domingo celebram a missão apostólica da Igreja em meio às muitas provações. Por isso, é o momento para lembrarmos, em Jesus Cristo, a todos aqueles que, ao longo dos séculos, foram fieis à causa do evangelho, inclusive dando, em alguns casos, sua própria vida, pela causa do testemunho e anúncio da Boa-Nova do Reino.

O texto da primeira leitura faz parte da quinta confissão do profeta Jeremias. Mostra a intimidade de alguém que se entregou por inteiro à missão. O profeta sente-se contrariado e depois experimenta, nas horas difíceis, lampejos de confiança, ao perceber que Deus estava com ele. Provou em sua própria carne o peso da missão profética, diante de perseguições e injurias dos chefes religiosos e do desprezo do povo. Jeremias, depois de profundo desabafo, mergulha na serenidade própria de quem se percebe acompanhado e protegido pelo Senhor. Deus é o guarda-costas e defensor do profeta. Por outro lado, na segunda leitura de hoje, o apostolo Paulo nos diz que a missão deve suscitar uma opção de vida.

E o evangelho de Mateus, lido hoje, continua o longo discurso missionário de Jesus sobre a missão da comunidade cristã (Mt 10,1-40) que atravessa todo o capítulo 10 do evangelho de Mateus, começando com a eleição dos doze apóstolos (Mt 10,1-4). Esse texto aparece no evangelho dirigido aos apóstolos, mas, pela data em que o evangelho de Mateus é redigido, ou seja, posteriormente ao ano 70 d.C., está sendo realmente dirigido à primeira comunidade de cristãos.

Segundo Mateus, e em sintonia com Jeremias e Paulo, ser discípulo significa se associar à missão apostólica de Cristo. E as recomendações de Jesus aos apóstolos de fato são dirigidas aos cristãos e as cristãs de todos os tempos e de todos os lugares.

No evangelho de hoje Jesus fala das dificuldades da missão, porque a mensagem não será transmitida sem conflito (Mt 10,16). O texto mostra uma comunidade provada pela perseguição e pelo sofrimento por causa de sua fidelidade à Boa-Nova de Jesus e a missão que dele recebera. Sem dúvida, e de acordo aos comentaristas bíblicos, e como já tínhamos falado, a redação do texto é posterior ao ano 70 d.C. quando os romanos destroem Jerusalém e dispersam a comunidade judaica.

Fala-se de perseguições, de interrogatórios “diante de reis e governadores”, do mesmo jeito de Jesus (Mt 10,17-25). E tudo indica que o redator do evangelho estava justificando algo que os primeiros discípulos já estavam passando na época em que a redação do evangelho está finalizando. Essa justificativa é encontrada no fato de serem fiéis a Cristo. Se Jesus passou por tudo isso seus seguidores também não estariam isentos de tais problemas.

Assim, em meio de um clima de angústia e de perplexidade, a comunidade levanta inúmeras interrogações: é possível seguir a Jesus Cristo sem passar por tantas rejeições e sofrimentos? E certamente, mesmo que haja alternativas na vivência do evangelho, tensões e conflitos fazem parte da missão. E de acordo aos textos os missionários da Boa-Noticia do Reino serão submetidos às mesmas realidades enfrentadas por Jesus.

Sabemos muito bem que os primeiros cristãos convertidos do judaísmo eram conduzidos aos tribunais e julgados sem terem quem os defendesse. E o martírio constituía-se numa forma pública de proclamar as razões da fé que animava sua opção de vida. Mas por três vezes no texto Jesus afirma: “Não tenham medo!” Sinal de que o grande problema nas comunidades daquela época era justamente o medo. Medo de ser preso, de ser torturado, de ser expulso da comunidade religiosa, de entrar em conflito com os familiares de sua própria casa. Muitos conflitos! Diante de tantas dificuldades as pessoas fugiam de seus compromissos batismais, negando sua opção por Jesus e pelo Reino, fugindo da missão[1].

E a frase “não tenham medo”, eixo central de todo o evangelho, quer destacar que o missionário precisa ter coragem e não temer às consequências de seu testemunho e de sua palavra profética. Jesus insiste que seus discípulos não devem desistir, pois as práticas da justiça do reino devem ser levadas às últimas consequências. Desistir significa fortalecer os que se opõem ao novo, às mudanças que o novo requer. E quem optar por seguir fielmente a Jesus está nas mãos de Deus

Destacamos que no evangelho Jesus repete por três vezes: “Não tenham medo!” Assim, através duma coletânea de palavras de Jesus, o evangelista procura alimentar o testemunho corajoso dos primeiros cristãos, apresentando-lhes motivos pelos quais não devem desistir da missão. O missionário não deve ter medo, porque ele está cumprindo uma missão recebida de Jesus.

Hoje, diante da realidade que vivemos muitos são tomados pela vergonha e pelo medo. Mas no medo não podemos construir nada positivo na perspectiva do Reino de Deus. E como batizados todos participam da missão profética de Cristo. Por isso, inibir-se por medo ou por comodidade, é ser infiel à missão evangelizadora confiada à comunidade dos discípulos e missionários de Jesus.

A audácia e a coragem são características do seguidor de Jesus: “Não tenham medo!”, diz Jesus. Porque o medo não combina com o conhecimento de Deus, que é experiência de amor e fonte de confiança e alegria. E se, segundo o evangelho, Deus cuida das aves do céu (Mt 6,26; 10,31), com maior amor, ele cuida também dos missionários de Jesus, comprometidos na edificação do seu Reino.

A palavra de Jesus neste domingo quer nos libertar do medo e nos revestir de coragem e de confiança em Deus, que cuida dos missionários com maternal cuidado. Assim, o Senhor nos diz: “Não tenham medo!” E não deve importar os desafios da sociedade ou as tarefas que devemos empreender, mas acima de tudo, o amor recebido de Deus. Mas o desafio fundamental é mostrar a capacidade da Igreja para promover e formar discípulos e missionários que respondam à vocação recebida e comunique por toda parte, com gratidão e alegria, o dom do encontro com Jesus. Dessa maneira, a palavra de Deus neste domingo também nos pede firmeza para sermos comunidade missionária comprometida com a justiça do Reino e pronta para o testemunho apesar de possíveis dificuldades. Porque buscar uma via menos comprometedora seria afastar-se do caminho de Jesus.

Finalmente, o que Jesus nos pede neste domingo é coerência com o Espírito recebido em Pentecostes. Somos todos e todas chamados a testemunhar nossa fé, mesmo diante dos ambientes mais desencorajadores. Nosso batismo nos pede a martiria[2], ou seja, a força e a coragem de testemunhar a novidade que vem de Deus.[3]

O domingo passado celebramos os 90 anos de nossa comunidade da Trindade, e o espírito de festa e alegria que partilhamos deve significar, também, e acima de tudo, o compromisso com os novos desafios que temos para sermos comunidade missionária e pronta para o testemunho em nosso presente e realidade.

E vamos orar para que Deus ajude nossa fraqueza, para que possamos viver firmes em nossa fé e compromisso com Jesus. Ele nos transmitiu as palavras de confiança. Essa é a razão pela qual os seguidores de Jesus devem deixar-se guiar constantemente pelo Espírito e tornar a paixão por Jesus e seu Reino sua própria paixão.

[1] Francisco Orifino, “Matiria – A espiritualidade do testemunho”, em: CEBI, Terça-feira 17 de junho de 2014, http://www.cebi.org.br/noticias.php?noticiaId=4945

[2] Do termo grego martus que significa “testemunha”.

[3] Francisco Orifino, “Matiria – A espiritualidade do testemunho”, em: CEBI, Terça-feira 17 de junho de 2014, http://www.cebi.org.br/noticias.php?noticiaId=4945

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: