//
você está lendo...
Estudos bíblicos - Deuteronômio

Palavras para tempos de crises… (I)


Palavras para tempos de crises…

Uma aproximação ao livro de Deuteronômio

Importância

O livro de Deuteronômio tem uma importância singular no conjunto das Escrituras. Em primeiro lugar, desde o ponto de vista da formação das tradições bíblicas, é consenso entre os comentaristas que é o ponto de arranque ou o início do cânon do Antigo Testamento. Em segundo lugar, pode ser considerado um livro “ponte”, porque com ele termina o Pentateuco (Gênesis até Deuteronômio), e se inicia outro conjunto, aquele formado pelos chamados livros históricos (Josué até 2 Reis). Deuteronômio comparte com ambos os conjuntos parte de sua temática. Em terceiro lugar, está perto de livros sapienciais como Provérbios; e é marcante sua influência em livros proféticos como Joel e Jeremias. Em quarto lugar, no social, é um dos documentos mais humanos e humanitários do Antigo. Testamento. Deuteronômio mostra uma grande preocupação pelos pobres, pelos escravos, pelos estrangeiros, pelos devedores, pelas prisioneiras de guerra. (Dt 14,28-29; 15,11-18; 21; 22; 24 etc.).[1] Finalmente, junto com Isaías e Salmos, é um dos livros mais citados no Novo Testamento (83 vezes).

Tudo o anteriormente expresso justifica que se afirme, em primeiro lugar, que Deuteronômio tem jogado um papel vital no desenvolvimento da fé bíblica; em segundo lugar, que o livro tem que ser considerado como o centro da teologia bíblica, porque é nele onde aparecem concentrados os elementos básicos da teologia do Antigo Testamento[2]; e, finalmente, que não existe um livro mais importante para a compreensão do Novo Testamento e a missão cristã que o livro de Deuteronômio[3].

Então, convido aos leitores e às leitoras para começarem uma caminhada por esse fascinante livro.

O nome

Deuteronômio é o nome que a primeira tradução grega do Antigo Testamento, conhecida como a Septuaginta (LXX), deu ao quinto livro das Escrituras hebraicas. Supunha-se que havia uma “primeira lei” e que o Deuteronômio era um resumo dessa lei dentro do marco de uma nova aliança. E, com isto, se colocava o livro na linha dos documentos legais.

Porém, o nome hebraico é eleh hadebarim, ou seja, “estas são as palavras”. E realmente o nome hebraico define melhor e de maneira mais ampla o caráter do livro. Porque realmente o Deuteronômio é um livro de palavras. São as palavras do personagem central do livro, Moisés, e muito poucas vezes aparecem as palavras do narrador.

Desta maneira, o Deuteronômio, formando parte da Torah (A Lei) -nome com o qual são conhecidos os cinco primeiros livros da Bíblia Hebraica- não é um livro legalista. Seu estilo (ensinos, exortações, chamamentos, conselhos, advertências) parece mais próprio de um pregador que de um legislador. Inclusive o núcleo central do livro (Dt 12-26), conhecido como Código Deuteronômico, não tem as características literárias de um código de leis. Por isso, diz-se que o Deuteronômio “é uma lei pregada” (von Rad).[4]

Época, local e autoria do Deuteronômio

Partindo do princípio de que os textos bíblicos não são “livros” no sentido moderno do termo, é consenso na pesquisa bíblica que o livro de Deuteronômio é um mosaico de inúmeras peças de tradições diversas. Em termos modernos, em sua forma atual, deve ser considerado uma coletânea ou uma antologia[5]. O próprio livro oferece vários títulos em diferentes partes (Dt 1,1; 4,44; 6,1; 12,1). Então, o conjunto do livro mostra um longo e complexo processo de crescimento, que se estenderá até o exílio babilônico, (587-539 a.C.) e, talvez, segundo alguns comentaristas, até princípio do pós-exílio no século V a.C.[6]

A opinião mais aceita é que as primeiras manifestações escritas se encontram no reino do Norte, Israel, durante o reinado de Jeroboão II (786-746 a.C.)[7]. Isto vincula as origens do livro ao período de atuação dos profetas Elias, Eliseu, Amós e Oseías, e à queda de Samaria e o fim do reino de Norte, pelas mãos dos Assírios, em722 a.C.

A partir daqui, as tradições deuteronômicas passarão ao sul, Judá, influenciando as reformas de Ezequias (716-687 a.C) e Josias (640-609 a.C), no médio da dominação Assíria. Finalmente, influenciarão a formação da chamada Obra Historiográfica Deuteronomista (OHD), nome que a pesquisa bíblica dá ao conjunto que vai de Josué até 2 Reis, obra que tenta explicar o exílio e o desastre da nação, agora pelas mãos dos Babilônicos, em587 a.C.

Com relação à autoria, as antigas tradições judias vinculavam o Deuteronômio a Moisés. De fato, literariamente o livro se apresenta como as palavras de Moisés ao povo presto para entrar na Terra Prometida (Dt 1,1; 4,44; 6,1; 12,1). No entanto, já a pesquisa bíblica demonstrou que Moisés não escreveu pessoalmente o conjunto do livro. Porém, isto não significa que as tradições vinculadas à figura, e às tradições de Moisés não sejam um importante eixo para compreender o sentido do livro. Porém, não devemos ficar assustados por esse fato, porque no mundo antigo não existiam os princípios de autoria que temos no mundo moderno, e era costume dar nome de figuras e personagens importantes aos textos para garantir sua autoridade e relevância.

Mas, então, quem escreveu o Deuteronômio?

Atualmente a hipóteses mais aceita pela pesquisa bíblica é que a autoria do Deuteronômio se encontra em um movimento ou coalizão de sábios populares (homens e mulheres), sacerdotes marginalizados e levitas, profetas e profetisas. Movimento que se desenvolveu durante os dois séculos de dominação Assíria, primeiro em Israel e depois em Judá, e que caminhava em direção contrária aos interesses da monarquia judaíta (Dt 16,18; 17,14-20; 20,1-9)[8], da burocracia palaciana, do sacerdócio de Jerusalém e dos acumuladores de terras (Is 5,8; Mi 2,1ss).[9]

Em fim, e termino esta primeira parte, Deuteronômio é um livro que nasce no meio de um povo em transição, de uma nação ameaçada por tentações e desastres, para uma geração cuja tarefa era conquistar uma nova terra e construir uma nova sociedade[10].

Então, não resulta atual o livro de Deuteronômio para nossa América Latina?

Na próxima parte vamos nos ocupar da mensagem e a teologia do Deuteronômio.

_______________

Notas/referências bibliográficas

[1] Segundo Moshe Weinfeld, é precisamente esse vínculo com a literatura sapiencial o que dá ao livro seu caráter humanístico. Veja Moshe Weinfeld, Deuteronomy and the Deuteronomic School, Oxford, Clarendon Press, 1972, p.294-306; e Félix García López, El Deuteronomio. Una ley predicada,Estella, Verbo Divino, 1989, p.22.

[2] Gerhard Hasel, Old Testament Theology: Basic Issues in the Current Debate, Grand Rapid,Wm.B.Eerdmans, 1991, p.156.

[3]P.Vassiliadis, God’sWill for his People: Deuteronomy 6,20-25 International Review of Mission (IRM), Geneve, 77 (1988), p.179.

[4] Veja Gerhard von Rad, Deuteronomy – A Commentary, Philadelphia, Westminster Press,  p.17-23 e Antonio González Lamadrid, “Historia Deuteronomista”, em Historia, Narrativa e Apocalíptica, Navarra, Verbo Divino, 2000, (Introducción al Estudio dela Biblia), p.57-58.

[5] Júlio Paulo Tavares Zabatiero, Tempo e espaço sagrados em Dt 12,1-17,13 – Uma leitura sêmio discursiva, Escola Superior de Teologia, São Leopoldo, 2001, (Teses doutoral), p.44.

[6] Confira-se agora Júlio Paulo Tavares Zabatiero, op. Cit., p.31-51. Veja também Rainer Albertz, Historia de la religión de Israel en tiempos del Antiguo Testamento, Madrid, Editorial Trota, 1999, (v.1, De los comienzos hasta el final de la monarquía), p.373-376.

[7] Contra essa hipóteses, M. Weinfeld e N. Lohfink. Veja-se Moshe Weinfeld,  cit, e Júlio Paulo Tavares Zabatiero, cit., p.35-38.

[8] Veja Rainer Albertz, cit., p.421-423).

[9] Veja Júlio Paulo Tavares Zabatiero, cit., 79-81.

[10] Edesio Sánchez, Deuteronomio, Buenos Aires, Kairos, 2002, (Comentario Bíblico Iberoamericano), p.35.

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: